Lavandula Dentata Medicinal

O gênero da Lavandula é um dos destaques em todo o mundo dentre os demais gêneros de lavandas pertencentes à família Lamiaceae, chamadas de “gêneros aromáticos”, isto é, que apresentem a capacidade de produzirem aroma. A Lavandula é muito explorada devido à produção de seus óleos essenciais, que são a matéria prima fundamental para a produção de diversos produtos de perfumaria, terapêutica, produtos de higiene e limpeza, além de cosméticos também.

O nome “lavanda” vem de “lavare”, que significa lavar. Sendo assim, o óleo da lavanda, há muitos anos já era utilizado para lavar roupas ou apenas para perfumá-las mesmo. Uma outra possibilidade de uso das lavandas é na gastronomia, onde é utilizada como uma forma bastante peculiar de tempero, apreciada em algumas culturas. De uma maneira geral, as lavandas são plantas que apresentam outros inúmeros benefícios, inclusive farmacológicos, uma vez que, em sua composição, elas contêm cerca de trezentas a até quatrocentas substâncias ativas e que podem ser utilizadas na farmácia.

Dentre os vários tipos de lavandas que, de uma maneira geral, também podem ser referidas como alfazemas, há a Lavandula dentata, que é bastante comum no Brasil. Assim como as demais, é uma planta do tipo herbácea e perene e que pode atingir um comprimento de até oitenta centímetros de altura, apresentando um formato não muito regular, com folhas em um tom verde acinzentado e flores na cor lavanda claro, lilás ou até mesmo azul claro, com uma espécie de espinhos na ponta de seus ramos e que exalam um aroma muito apreciado.

O uso medicinal da lavanda é bastante discutido, sendo que todas as suas centenas de substâncias ativas podem nos proporcionar diversas funções farmacológicas, como os efeitos anti-bacteriano e anti-inflamatório, o auxílio no combate à pressão arterial sistêmica, além de ser bastante útil e utilizada em sessões de aromaterapia.

A Lavandula dentata pode fornecer um chá que pode auxiliar no combate a alguns dos problemas que mais afligem a sociedade contemporânea que nos encontramos, como o estresse, a ansiedade, a irritabilidade, o cansaço, a insônia e a tensão. Há, inclusive, alguns florais recomendados para serem utilizados em alguns casos de alteração de humor, sendo de ansiedade ou de depressão, que são feitos contendo óleo de lavanda. Tradicionalmente em algumas culturas, o chá feito de Lavandula dentata também é bastante consumido para a diminuição de dores de cabeça, efeito esse que também pode ser conseguido a partir da aplicação do óleo dessa planta na região das têmporas da cabeça.

Há ainda quem diga que o simples fato de aplicar uma pequena quantidade do óleo da Lavandula dentata sobre a pele, mais especificamente nos pulsos, promove uma regulação do sono e dos ritmos do corpo, fazendo com que eventuais desajustes dos diversos sistemas do corpo humano sejam evitados, principalmente no caso de uma longa viagem em que o fuso horário entre os locais de origem e de destino seja muito discrepante entre si. A Lavandula dentata também compõe a base de alguns cosméticos que têm como propriedades reduzir o aparecimento de acne, reduzir o aspecto indesejado de celulites, estrias e cicatrizes, bem como também está contida em alguns produtos que têm como função reduzir a inflamação e a lesão cutânea, como no caso de queimaduras, por exemplo.

Uma outra propriedade bastante útil da lavanda é a sua capacidade de facilitar tratamentos ou de reduzir sintomas que estejam relacionados ao trato gastrointestinal, como a ocorrência de infecções desse sistema, cólicas, gases, síndrome do intestino irritável, vômitos e náuseas, e até mesmo ajudar no combate à halitose, graças às suas propriedades anti-inflamatória e anti-bacteriana, que já foram citadas anteriormente, além de seu poder antifúngico, antisséptico e antiespasmódico também.

O óleo essencial derivado da Lavandula dentata apresenta diversos compostos, como a cânfora, por exemplo, que é uma substância muito utilizada para amenizar dores do sistema musculoesquelético. Há, ainda, substâncias chamadas de monoterpenos oxigenados que, juntamente com as propriedades da cânfora, conferem a esse óleo a capacidade antiespasmódica, antifúngica e antibactericida, citadas anteriormente.

Sendo assim, a Lavandula dentata pode auxiliar no tratamento de diversas doenças, como a difteria, a pneumonia, o vírus da gripe e diversos outras. No entanto, o ideal é sempre procurar um médico e nunca realizar um tratamento por conta própria, seja ele natural ou derivado da medicina tradicional. O uso da Lavandula dentata em forma de chás ou a aplicação de seu óleo de maneira tópica não substitui nenhum tratamento tradicional.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Naturais

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *