Samambaia

A Samambaia é uma planta pertence a um grupo vegetal com características peculiares, tendo surgido a partir do Siluriano (período da era Paleozóica), ocupando a região de transição entre a água e a terra dando origem as psilófitatas (Psilophytatae). Essas evoluíram a partir de algas semelhantes as clorofíceas com talos complexos, alternância de gerações e meristemas apicais.

Na escala evolutiva das plantas foram as primeiras plantas terrestres a apresentarem vasos condutores de seiva e estômatos, apesar de ainda não possuírem raízes verdadeiras. Para resolver o problema de sustentação em terra firme, cada célula desenvolveu um preenchimento com lignina em sua parede celular que lhe possibilitou maior resistência.

Os primeiros representantes das Pteridófitas se originaram já no Devoniano (Período compreendido na Era Paleozoica entre 416 milhões e 359 milhões de anos atrás). São vegetais criptógamos vasculares e cormófitas. Em outras palavras, são vegetais que não apresentam flores, possuem vasos condutores de seiva e o aparelho vegetativo com raiz, caule e folhas bem desenvolvidas. Assim como as briófitas, que são as ancestrais das samambaias, a alternância de gerações também está presente, porém a fase duradoura é representada pelo esporófito e a fase transitória é representada pelo gametófito que recebe o nome de protalo haploide que se refere a uma célula n.

A fecundação ocorre sempre com a participação da água, algo muito importante quando nos referimos à escala de evolução das plantas. O protalo é uma estrutura, geralmente, pequena, verde e em forma de lâmina que vive em meio ao ambiente aquático. Em alguns casos ele pode ser saprófito, ou seja, absorvem substâncias orgânicas normalmente provenientes de matéria orgânica em decomposição e podem ser encontrado dentro do solo, sendo neste caso incolor. Independente da forma em que se apresenta, o protalo possui um tempo de vida curto, não ultrapassando semanas. Apenas em casos remotos podemos ter sua vida aumentada, sendo um desses casos a ausência de sua fecundação, o que o proporciona alguns anos.

Algumas Pteridófitas apresentam diferenciação em suas folhas. Assim um tipo de folha se encarrega das funções vegetativas, sendo neste caso chamada de trofófilo e um segundo tipo que se encarrega, além das funções vegetativas das funções reprodutivas, sendo chamado esporófito. A esse fenômeno dá-se o nome de heterofilia.

As plantas pteridófitas possuem folha, caule e raiz. A raiz se torna mais diferenciada com a integração de uma coifa, como forma de proteção a mais. Além dessas partes, vale frisar que todas possuem vasos condutores, o que instala um maior grau de evolução e adaptação ao meio terrestre.

Seus representantes mais relevantes se encontram nas seguintes classes: Lycopsida (licopodium e selaginela) que em sua grande maioria já entrou em processo de extinção. As Equisetaceae (composta apenas pelo gênero Equisetum) sendo suas maiores representantes instauradas através de fósseis paleolíticos, E por último, temos as Filicatae, que possuem como maior representante as Samambaias.

As Samambaias desde os primórdios tem sua função como planta ornamental, sendo usada de diversas maneiras, desde ambientes internos, na confecção de paredes ecológicas, até mesmo para a combinação de um ambiente externo verde e com bastante estilo. Porém muitas pessoas ainda encontram dificuldades para cuidar de suas plantinhas, então segue agora algumas dicas de como cuidar e manter sua planta sempre verde e vistosa.

Geralmente as Samambaias possuem maior afinidade por ambiente sombreado e com aporte de água, como vimos em sua fisiologia, as Samambaias ainda possuem grande dependência do ambiente aquático para manutenção e para seu processo reprodutivo. Portanto, atente-se ao ambiente antes mesmo de adquirir uma planta dessa classe, mesmo sabendo que há espécies mais rústicas e que podem viver em solo, areia ou em sol pleno, faz-se necessário um cuidado maior caso se enquadre em um desses casos.

Agora Vamos Lá Para Dicas Diretas:

  1. Primeiro escolha o local em que você deseja colocar uma planta e veja se enquadra para as exigências da Samambaia.
  2. Geralmente janelas que são viradas para o Sul são mais adequadas, pois possuem uma menor luminosidade e baixa intensidade, o que é preferível para as Samambaias.
  3. Caso seja uma janela voltada para o Norte, tenha em mente que sua preocupação deverá ser maior, atentando-se para a retirada da planta quando o sol estiver batendo de forma incisiva.
  4. Ambientes internos com luz indireta são ótimos para essas plantas.
  5. Outra forma muito usada é dependurada em quintais, fique de olho para não dependura-las em local de sol intenso.
  6. Dependurá-las embaixo de outras árvores é uma boa pedida, visto que estará protegida.
  7. Mantenha sempre que possível sua plantinha bem hidratada. Borrifar água em alguns períodos do dia é o ideal.
  8. Assim como as Samambaias não devem ficar em locais muito quentes, também não devem ficar expostas ao frio. A temperatura que se mantem constante é a melhor pedida para essas plantas. Ou seja, caso esteja enfrentando uma frente fria, coloque-a em local interno, livre de frio direto para que suas folhas não queimem.
  9. Use adubos mensalmente. Há adubos específicos para essas plantas, então quando for a uma floricultura, atente-se para escolher o melhor para a sua planta. Dica importante: Só adube sua plantinha após 6 meses de seu plantio, caso contrário o efeito pode ser maléfico e leva-la a morte.
  10. Faça a retirada de galhos e folhas que não estejam vistosas. Isso é algo fundamental para que sua planta cresça bonita.
  11. Mude de vaso!!! Samambaias tendem a ficar bem grandes com o passar do tempo. Então quando ver que o espaço já não está mais sendo suficiente, não hesite em comprar um novo vaso para ela.
  12. Proteja sua planta contra pragas. Alguns parasitas tendem a ficar nas Samambaias, portanto, faz-se necessário limpezas periódicas. O mais indicado é a limpeza manual, através de água e também do balançar das folhas. Usar pesticidas não é uma boa escolha, visto que pode contaminar o ambiente com substâncias que podem fazer mal tanto para planta, quanto para nós.
  13. Xaxim, NÃÃÃÃO!! Antigamente, a maioria das samambaias eram plantadas em vasos de xaxim, porém hoje em dia já temos a consciência que além de não ser ecologicamente desfavorável, ainda pode ser criadouro para mosquitos transmissores de doenças como dengue, chikungunya e zika.

Dica crucial!! Como pode ver, qualquer ser vivo despende de atenção e cuidados, então cuide sempre muito bem de sua planta. Tudo que tem atenção cresce e desenvolve lindamente. Então reserve sempre um tempinho para sua plantinha e aproveite a beleza que a natureza pode nos oferecer.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Informações

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • oi gostaria de novidades para minha floricutura….

    alex 28 de novembro de 2012 11:07 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *