Como Eliminar a Mosca Branca das Plantas

Um péssimo momento para as plantas quando o assunto é dispersão das pragas é naquele quente e seco. Dá para observar o quanto esses problemas são mais constantes nessas épocas.

Entre as pragas que atacam as plantas algumas se destacam, isto é, são mais “ferozes” neste período, como por exemplo:

  • A mosca-branca que tem preferência pelo algodão,
  • As brássicas adoram atacar a couve-flor, o repolho e o brócolis,
  • As cucurbitáceas adoram atacar o melão, o chuchu, a abobrinha, a melancia e o pepino,
  • As leguminosas preferem o feijão-de-vagem, a soja e o feijão
  • As solanáceas preferem o fumo, a pimenta, o tomate, o pimentão e a berinjela. Esta última ainda pode atacar o picão, o joa de capote, o amendoim-bravo e datura.

Entenda Melhor a Biologia Essas Pragas

A mosca-branca apesar do nome, na idade adulta tem a coloração amarelo pálida. A medida delas fica entre 1 e 2mm e o macho é menor do que a fêmea. As asas ficam um pouco separadas permanecendo com os lados paralelos quando elas estão de repouso e ainda é possível ver o abdômen.

O tempo que uma praga como essa vive depende da temperatura que ela está exposta e o tipo de alimentação. E o seu estágio de crescimento para do ovo a adulto sob temperatura que deve ficar em torno dos 32 graus e leva entre 18 e 19 dias.

O ovo da mosca-branca também é de cor amarela e o seu formato lembra muito aquele de uma pera, a medida fica entre 0,2 e 0,3 mm. As fêmeas colocam os seus ovos na parte de dentro das folhas de forma irregular. E essa fase dura entre 6 a 15 dias, o que faz variar o tempo é a temperatura em que ela está.

Controle Cultural: Evite Para não ter que Eliminar

Na agricultura o que é chamado de prática agrícola é o emprego de rotinas para fazer com que o agroecossistema seja menos favorável para que esses insetos sobrevivam. Veja algumas delas!

1- Plantar somente mudas sadias

A produção é reduzido quando uma planta é atacada pelo vírus da mosca-branca, mais cedo ainda, quando a infecção acontece logo no início. Para evitar esse problema e não ter que trabalhar para eliminar a praga, o que é mais difícil, você pode agir da seguinte forma:

  • Nunca faça o cultivo das suas plantas próximos a campos que você sabe que está contaminado pela mosca-branca e pelo gemi vírus.
  • Faça uma proteção da sementeira usando tecido, tela ou plástico.
  • As mudas devem continuar sob proteção até passar 30 dias depois do transplante e fazendo uso de inseticidas. Atenção: faça uso somente de produtos registrados.
  • Faça seleção de mudas vigorosas e sadias antes do transplante.
  • Espere 21 dias como mínimo para transplantar a sua muda.

2- Outro modo de prevenir o ataque das moscas-brancas é usando barreira vivas. Elas ajudam a retardar, em alguns casos até impedem a entrada da praga. Como eles devem ser para funcionar:

  • Elas devem estar em direção ao vento, perpendiculares.
  • Se possível fazer isso em volta de toda a lavoura.
  • Para fazer a barreira viva pode ser usado: milho, sorgo forrageiro ou alguma planta similar.
  • Se o cultivo for de tomate, a barreira viva deve ter alcançado pelo menos um metro de altura.
  • O ideal é escolher plantas que não só sirvam de barreira, mas também tenham outra utilidade.

3- As armadilhas para reduzir as moscas-brancas é uma boa solução. Elas deverão atrair a praga e depois diminuir, principalmente, aquelas adultas. Neste caso, use:

  • Potes de plástico
  • Plásticos
  • Etiquetas
  • Nylon
  • Coloração Amarela
  • Tudo untado com óleo

Use plantas para colocar a armadilha que fiquem na mesma altura da planta cultivada.

4- Faça a manutenção do cultivo no limpo, essa é uma forma de eliminar a mosca-branca e qualquer outra virose que possa atacar as plantas. Deve ser feita logo nos primeiros dias que o cultivo foi feito.

5- Aproveite o resto das plantas para enriquecer o solo. E não é só isso, elas ajudarão a impedir que se formem nichos que são perfeitos para o desenvolvimento dos ovos. Porém, isso só funciona, se todos da mesma área fizerem o mesmo. Se você faz e o eu vizinho não, diminui a eficácia.

6- Opte pelo plantio de cultivos resistentes

O que se diz é que quanto é difícil acabar com o vetor, uma alternativa é trabalhar na resistência do vírus. 

Fazendo Controle Químico Para Eliminar a Mosca-Branca

Esse é chamado o controle mais generalizado, mas alertam os especialistas, muitas vezes é feito de forma irracional. Veja qual a maneira de usar o controle químico de forma eficiente e segura!

1- Inseticidas

  • Procure o inseticida apropriado para controlar a mosca-branca.
  • Use somente a dosagem que é recomenda nas instruções do rótulo.
  • Outra opção é usar também óleos desde que a dosagem fique entre 0,5% e 0,8% ou detergentes e sabões neutros com dosagem de 0,5%. Ambos servem principalmente para diminuir a oviposição da mosca-branca. Porque as ninfas não conseguem se alimentar onde tem óleo e acabam morrendo desidratadas.
  • Os produtos devem ser aplicados em rotação temporal ou espacial.
  • Quando e usa a rotação você consegue fazer com que o efeito do seu inseticida dure por mais tempo.
  • Nunca aumente a dose do produto por sua conta e nem é recomendado usar um único produto. Com um tempo, a praga se torna resistente a ele.
  • Mistura inseticidas não garante maior eficiência. Eles devem ser mudados, mas de forma rotativa.

O Controle Biológico da Mosca-Branca

Existe uma grande variedade que foi identificada como espécie de mosca-branca e que atacam as plantas, todas, sem exceção. Foram identificadas 16 espécies no grupo de predadores, que são das seguintes ordens: diptera, hemiptera, neuroptera e coleoptera.

Sendo que foram identificadas 37 espécies entre os parasitoides, algumas de micro himenópteros.

Os parasitoides mais comuns são dos seguintes gêneros: eretmocerus, amitus, encarsia. Já naqueles que fazem parte do grupo entomopatogenos: aschersoniaaleyrodis , verticillium lecannii, beauveria bassiana e paecilomyces fumosoroseus.

O importante é que toda o controle, seja ele cultural, cultivo resistente, uso de inseticida, deve ser atento para não favorecer os inimigos.

Mosca é um inseto pertencente à ordem diptera, e possui apenas um par de asas. Os dípteros formam um dos maiores grupos, pois existem mais espécies de moscas do que de vertebrados. As moscas estão divididas em 150 mil espécies, e estão tanto em áreas urbanas quanto rurais, são ativas durante o dia e gostam de ambientes sujos, com matéria orgânica em decomposição (lixo, esgoto e aterros sanitários), por isso levam sujeira para todo lugar. Não possuem dentes, depositam a saliva para que os alimentos fiquem pastosos.

As moscas têm uma fama péssima, pois espalham sujeira, contaminam alimentos e propagam doenças, como diarreia, cólera e febre tifoide, por exemplo. Poucas espécies são usadas no controle de pragas e em experiências genéticas.

Algumas possuem o aparelho bucal desenvolvido para uma absorção de líquidos eficaz, e outras são picadoras (chamadas de hematófagas). A principal importância/função da presença das moscas está no fato de serem vetoras mecânicas de agentes patogênicos (vírus, protozoários e bactérias), e estão presentes em áreas rurais e urbanas, adaptadas ao convívio humano.

Alguns Tipos de Mosca: 

  • Mosca-doméstica;
  • Mosca-dos-filtros;
  • Mosca da banana;
  • Mosca do berne;
  • Mosca de frutas;
  • Chrusomya;
  • Mutuca de cavalo;
  • Mosca do chifre;
  • Mosca-gigante;
  • Mosca tsé-tsé;
  • Varejeira azul;
  • Mosca caçadora;
  • Mosca negra;
  • Mosca do figo;
  • Mosca do queijo e;
  • Mosca do pombo.

As espécies “mosca-de-estábulo”, “mosca-de-chifre” e “mutuca” se alimentam basicamente de sangue.

Mosca Branca

A mosca branca (Bemisia argentifolii) – da família dos insetos aleirodídeos – é uma praga agrícola que se desenvolve principalmente em épocas quentes, alguns hospedeiros: Algodão; Brócolis; Couve-Flor; Repolho; Abobrinha; Melão; Chuchu; Batata; Mamão; Melancia; Pepino; Feijão; Soja; Ervilha; Berinjela; Fumo; Pimenta; Tomate; Pimentão e; Uva.

A mosca branca altera o desenvolvimento e a reprodução das plantas ao sugá-las, prejudicando a produção e a qualidade dos frutos, em casos extremos (infestações intensas), mais da metade da produção é afetada.

Mosca Branca e a Agricultura Brasileira

Ela se disseminou no mundo através da comercialização e transporte de plantas ornamentais na Europa, Mediterrâneo, Ásia e América. Está de reproduzindo em várias espécies de vegetais, e tem aumentado de maneira assustadora nos últimos anos em países das Américas e do Caribe.

Chegou no Brasil no de 1823, reapareceu em 1990 na região sudeste (principalmente no estado de São Paulo, com altas infestações em Campinas, Paulínia, Holambra e Jaguariúna, afetando plantações de abóbora, abobrinha, tomate, brócolis, berinjela e plantas ornamentais), depois no Centro-Oeste, Sul e Nordeste, e atualmente nenhum estado está livre da praga, e com isso os prejuízos são bilionários.

Casos recentes detectaram a presença no Vale do São Francisco (que compreende os estados de Pernambuco e Bahia), que causou sérios problemas no cultivo de tomate industrial e de cucurbitáceas. Em Mossoró (Rio Grande do Norte) – principal pólo produtor de melão do Brasil – a mosca branca tornou-se uma grande ameaça.

Ciclo de Vida: 

  • Ovo;
  • Ninfa (4 fases);
  • Pupa e;
  • Adulto.

A parte de baixo das folhas é onde a mosca branca deposita seus ovos – média de 160 ovos por fêmea – e que a ninfa se desenvolve. No primeiro estágio, s ninfas são móveis, após selecionarem um local, se fixam e ficam imóveis.

Ela se desloca geralmente na parte da noite e nas horas em que a temperatura está mais baixa. O vento é primordial na disseminação, já que voar não é o seu forte. A multiplicação é rápida, e a fêmea coloca em média de 100 a 300 ovos durante a vida.

Controle Cultural 

É realizado com práticas agrícolas que não favorecem o desenvolvimento e a sobrevivência da mosca branca. É importante investir no plantio de mudas sadias e observar e identificar infecções recentes.

Controle Químico

É realizado de maneira generalizada, para que seja eficaz deve-se usar inseticidas (reduzem o desenvolvimento) e produtos em rotação (aumentam a vida útil dos inseticidas). A mistura de inseticidas não é eficaz.

Controle Biológico

É realizado com a tomada de medidas adequadas, que consistem nas práticas naturais e o uso correto de inseticidas.

Confira a lista de inseticidas registrados – que combatem a mosca branca – pelo Ministério da agricultura, pecuária e abastecimento:

Ditiocarbamato 

  • Ingrediente ativo: Cartap1
  • Produto comercial: Cartap / Thiobel

Fosforado

  • Ingredientes ativo: Acephate1; Dimethoate; Metamidophos1 e; Triazophos1.
  • Produtos comerciais: Orthene 750BR; Tiomet 400CE; Faro; Hamidop 600; Metafos; Metamidofos Fer; Nocaute; Stron; Tamaron BR e; Hostathion 400.

Fosforado + Peretroide 

  • Ingredientes ativos: Triazophos + Deltamethrin
  • Produto comercial: Deltaphos CE

Piretroide 

  • Ingredientes ativos: Betacyfluthrin; Esfenvalerate; Fenpropathrin e; Fenvalerate.
  • Produtos comerciais: Bulldock 125SC; Sumidan 25CE; Danimen 300 CE; Meothrin 300; Belmarck 75 CE e; Sumicidin 200.

Neonicotinoide 

  • Ingredientes ativos: Acetamiprid1; Imidacloprid1; Thiamethoxan1 e; Thiacloprid1.
  • Produtos comerciais: Sauros PS; Mospilan; Confidor; Provado; Thiamethoxan 250 WG; Actara e; Calypso.

Piridazinonas 

  • Ingrediente ativo: Pyridaben1
  • Produto comercial: Sanmite

Piridil éter 

  • Ingrediente ativo: Pyriproxyfen1
  • Produtos comerciais: Cordial 100; Epingle 100; Tiger 100.

Tiadiazina 

  • Ingrediente ativo: Buprofezin1
  • Produto comercial: Applaud

Danos

A mosca branca prejudica as plantas, reduz o desenvolvimento e a produtividade, e a longo prazo compromete a sustentação dos sistemas agrícolas. Os danos são causados por anomalias, mudança na coloração das folhas / ramos / frutos, redução da taxa fotossintética e a maturação desuniforme das colheitas.

Sintomas que identificam os danos: 

  • Folhas amareladas e enrugadas;
  • Frutos com amadurecimento irregular;
  • Produção reduzida.

Prevenção

  • Utilizar apenas mudas 100% garantidas;
  • Técnicas eficientes de pulverização;
  • Erradicar plantas prejudicadas restos culturais rapidamente;
  • Organizar o plantio em grupos;
  • Evitar o plantio próximo de áreas prejudicadas e;
  • Não reutilizar embalagens infectadas.

Incidência de doenças 

O vento forte rasga as folhas, e causa atrito entre folhas, galhos e frutos, além de transportar as moscas bancas.

Incidência de pragas 

As moscas se deslocam com a ajuda das correntes de ar, o voo é passivo.

Quebra Vento – Técnica Agrícola

É uma das técnicas mais antigas, que pode ser efetivada com barreiras naturais (árvores / arbustos) ou barreiras físicas (telas). A intenção principal é que ventos fortes cheguem até uma lavoura, mas infelizmente esse método não é utilizado no Brasil.

A Nova Mosca Braca

A “bemisia tabasi” é uma espécie de mosca branca muito mais agressiva.

Diferenças da Bemisia angertifolii e Bemisia tabaci: 

  • Se reproduz mais facilmente;
  • O ciclo de vida completo se dá em tomateiros;
  • Maior variedade de plantas hospedeiras;
  • Maior variedade de plantas afetadas;
  • Promove alterações fitotóxicas;
  • Desenvolve maior resistência defensiva e;
  • Sobrevive às condições adversas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Dicas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *