O Que São Micronutrientes do Solo

Os micronutrientes também chamados de oligoelementos ficam no solo e são de extrema importância para a alimentação dos organismos. Podemos comparar essa importância como a mesma para o corpo humano em relação ao cromo, porém, as quantias devem ser bem pequenas. Aliás, algumas plantas precisam de uma pequena quantidade de metais.

Vale ressaltar que os micronutrientes são de extrema necessidade para os organismos, porém, a quantidade é mínima, falamos em microgramas, miligramas, nada além disso.

Dentro do grupo de micronutrientes podemos acrescentar os minerais e as vitaminas, que devem estar na alimentação das pessoas todos os dias. Na falta, disfunções e doenças podem acabar se desenvolvendo. Importante lembrar também que nem o excesso é bom, neste caso, se provoca intoxicações. Por isso, qualquer dieta deve ser variada e equilibrada para ser considerada ideal.

Também podemos falar em micronutrientes do solo em traço, isto é, que a quantidade é bem pequena, isto é, em microgramas a cada litro. Porém, mesmo em pouca quantidade eles representam uma grande importância para o ambiente.

Função na Planta dos Micronutrientes

A principal função dos micronutrientes para as plantas está na fixação simbiótica do nitrogênio e mais, das plantas superiores nos processos fisiológicos.

Quando falta micronutrientes no solo reduz a síntese da enzima nitrogenase e dando sequência diminui a fixação biológica do nitrogênio. Por exemplo, quando falta os micronutrientes na soja, através da coloração, que é amarelada pálida, dá para perceber a falta que estáa fazendo, além das folhas, que ficam com aspecto mais velho. O mesmo acontece quando falta nitrogênio.

Os micronutrientes no solo devem ficar entre 0,5 e 5,o ppm, sendo que as fases são: dissolvido na solução do solo, na fração coloidal é absorvido, com retenção na rede cristalina dos minerais primários e associado a matéria orgânica.

Quando o pH está muito baixo, os micronutrientes que ficam no solo encontra-se separado no ácido molíbdico. Aumentando o pH, se separa e em seguida, junto com o molibdato e se torna o principal de pH neutro e alcalino.

Corrigindo a Toxidez do Solo

Os micronutrientes através da intemperização é facilmente liberado dos minerais primários. Quando comparado um micronutriente com outro, ele se torna móvel que são facilmente solúveis. Por outro lado, através da fração coloidal e dos minerais primários os molibdatos são absorvidos.

Em solos ácidos existe uma correção do pH e isso deve ser feito através da calagem, o molibdênio está disponível, com justificativa de hidroxila. Algumas pesquisas afirmam que com o uso de calcário quando o solo é ácido existe uma eliminação de uma boa fertilização mesmo usando os micronutrientes.

O que significa que um solo saturado com micronutrientes não pode entrar em contato com calcário.

As Fontes de Adubação e Translocação na Planta

Nas adubações as formas de micronutrientes mais usadas são: trióxido de molibdênio, amônia e molibdatos de sódio. Também podem ser usados fertilizantes compostos e ácido molibídico. Podem ser usadas para as plantas e adubo do solo e também adesão para sementes.

Sobre a mobilidade dos micronutrientes na parte interna das plantas não se sabe nada, o que tem registrado é contraditório e não dá para saber se realmente se trata de uma verdade ou não. Por exemplo, no caso das leguminosas, existe uma taxa em nível alto de retranslocação, considerando do micronutriente até encher os grãos.

O que se observa é que existe diferença da eficiência dos micronutrientes, principalmente, quando se trata de feijão fava, e isso pode ser por conta das diferenças de acúmulo da substância. Por isso, que se observa a diferença nas taxas de retranslocação das raízes.

Os micronutrientes acabam se esgotando quando não é utilizado de forma correta para reposição, sendo assim, a sua deficiência se observa, principalmente, em solos do tipo cerrado.

Sódio: Como Esse Micronutriente é Importante Para as Plantas

O sódio possui várias funções e todas elas sse justificam pela a origem da substância, considerando o nível das moléculas.

  • Osmótica que tem função nas plantas. Esse elemento não é exigido de forma absoluta, possui associação de sais de sódio, açúcares e aminoácidos.
  • Estômatos serve para ativar as proteínas que fazem a função de transportadoras nas membranas das células-guarda. Através delas se ativa o influxo de k mais e dos íons, que se encontra o equilíbrio. Quando esses componentes aumentam o potencial de água das células automaticamente é reduzindo, dessa froma, a água fica túrgida.
  • Fotossíntese é responsável pela função na fotofosforilação.
  • Fixação do carbono tem como essencial enzima a chamada PEPcase.

Sobre a deficiência de sódio é importante ressaltar que esse tipo de problema acarreta o desenvolvimento das plantas em menor escala, e mais, as flores não aparecem, acontece necrose das folhas e também as cloroses foliares.

Absorção Pela Planta e Correção Quanto a Toxidez

A letra “K” representa o padrão “duplo de absorção”, na prática significa, que o mecanismo número um funciona em baixas concentrações, porém, é dependente da energia metabólica e alta afinidade, porém não sofre da presenã do sódio.

O segundo mecanismo, chamado de “mecanismo 2” também age quando está sob uma grande concentração comum ao sódio, que faz com que o “k” não possa ser absorvido. O que significa que o “K” é passivo e isso é feito através de canais protéicos.

Segundo os estudos, a absorção de sódio é feita através do mecanismo chamado de 2. Dessa forma, o sódio chega até as plantas, pelo solo. Quando se fala de correção dos solos sódicos, significa que é necessário fazer uma simples substituição, trocando o sódio pelo chamado h mais, ou também pelo Ca do gesso.

Quando explicado dessa forma, todo o processo parece muito complexo, mas na verdade não é, pois para uma pessoa que não tem conhecimento de física, basta buscar os produtos, que são previstos para fazer as devidas correções no solo.

Os micronutrientes no solo são de extrema importância para o mesmo. Pode parecer que a pequena quantidade não faz diferença, quando na verdade é de importância para melhorar o solo e principalmente, para dar mais força as plantas que forem cultivadas naquele determinado local.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Dicas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *