Como Plantar Cravo de Defunto?

Ter o meio ambiente sempre perto de nós é o desejo de muitas pessoas, não é verdade? E isso não poderia soar diferente, já que o nosso contato com a natureza já vem desde muito cedo. Prova disso são as inúmeras provas históricas e arqueológicas que mostram a intimidade humana com a mãe natureza.

É válido lembrar que, nos primórdios da nossa existência, os nossos ancestrais viviam, basicamente, da caça, da pesca e da coleta de frutos, utilizando equipamentos rústicos para poderem alcançar o seu objetivo, tais como o uso de lanças, flechas, e, principalmente, o fogo. Depois de milhares de anos vivendo desta maneira, passando por um período de quase extinção, que relegou a existência de apenas dois mil seres humanos em todo o planeta, o homem começou a perceber que poderia se fixar em uma região, praticar agricultura e, também, domesticar animais selvagens para poder servir como fonte de alimentação no futuro.

Cravos de Defunto Amarelos e Laranjas

Cravos de Defunto Amarelos e Laranjas

Tudo isso ajudou a moldar a nossa sociedade, que se encontra, hoje, em uma outra evolução, tanto em termos culturais e sociais quanto econômicos. É claro que, toda e qualquer evolução têm um certo impacto na vida das pessoas e, por isso, tal processo está sendo feito de uma maneira gradual.

Como estamos acostumados com as cidades, muitas pessoas não tem tempo para poderem se dedicar à natureza, muito por conta das obrigações diárias, bem como, também, pelo restrito acesso às áreas verdes por conta da urbanização. Um dos meios de burlar tal coisa é, justamente, trazer um pouco do meio ambiente para a sua casa. Nós podemos fazer isso com a adoção de animais de estimação, bem como, também, fazendo o plantio de diversos tipos de plantas para decoração do interior e do exterior de nossas casas.

No nosso artigo de hoje, iremos falar um pouco sobre o conhecido “Cravo de Defunto”, bem como, também, utilizar técnicas para o seu cultivo. Vamos lá?

O Que É O Cravo de Defunto?

O Cravo de Defunto nada mais é do que uma espécie de planta que tem, entre outros objetivos, ajudar na decoração das nossas casas, tanto na parte de dentro quanto na parte de fora. Embora o seu nome popular não seja tão convidativo,  a planta tem um visual estonteante, principalmente entre aquelas pessoas que adoram flores.

O Que é o Cravo de Defunto?

O Que é o Cravo de Defunto?

Seu nome científico é Tagetes patula, sendo que a sua originalidade, isto é, de onde ela é originária, é do território do México. Em suas características físicas, o cravo de defunto é uma planta com folhas bem subdivididas, sendo que seus capítulos são maciçamente grandes, além de ter cores variadas, que partem de um amarelo suave até um amarelo ouro mais forte. Um dos pontos fracos, no entanto, é o odor emitido pela planta, que costuma ser bastante forte e, por fim, desagradável para o olfato. É por conta desse odor que o seu nome se popularizou como “cravo de defunto”.

Embora isso seja um “defeito” da planta, nada que um cuidado mais especial a ter com ela não resolva esse problema, já que, a sua beleza, revelada em suas flores, anula, em partes, o efeito ruim do seu cheiro.

Além de apresentar uma coloração amarelo ouro estonteante, em alguns casos, a planta mescla a cor amarela juntamente com a cor laranja, o que deixa a flor ainda muito mais bonita. Muitos podem achar que a flor é de difícil cultivo, mas o seu desenvolvimento é tão simples quanto a da famosa “onze horas”, que é uma das flores mais comuns nos jardins brasileiros.

Como Posso Plantar O Cravo De Defunto?

Uma das vantagens do Cravo de Defunto é que a planta em si é uma grande disseminadora de sementes, não economizando quando o assunto é reprodução, tendo aí, mais um ponto de semelhança com a “Onze Horas” (que ganhou esse nome, justamente, por se abrir pontualmente às onze horas da manhã).  As suas sementes ficam depositadas nas flores da planta. Quando a flor começar a dar sinais de seca, é hora de retirá-la e, aí, fazer com que ela passe por um processo de “secura”, ou seja, colocar a flor em cima de uma folha de jornal, exposto ao sol para que ela possa terminar de secar.

Jardim com Muitos Cravos de Defunto

Jardim com Muitos Cravos de Defunto

Quando a flor estiver bem seca, é hora de retirar as sementes, que estão alojadas no miolo da flor. Segundo estimativas, existem mais de 20 sementes da planta em cada flor. Quanto ao armazenamento, pode colocar em um recipiente de plástico fechado, seco, mantendo em um local fora do alcance do sol e da umidade. Nessas condições, ela pode durar até um ano. E, não se engane: são muitas sementes. Perfeito para dividir com aquele amigo entusiastas das flores.

O Plantio

Se você decidir por plantar as sementes, as recomendações são, praticamente, as mesmas para fazer um plantio comum: prepare a terra, afofando-a ou adicionando um fertilizante para deixa-la mais forte, além, é claro, de deixa-la úmida durante esse processo. Uma dica é pegar terra preta que possa conter minhocas, pois elas irão ajudar e muito no processo de deixar a terra mais fofa e receptiva para a semente que irá germinar por ali. Além disso, ela produz o húmus, que é de grande utilização para deixar a terra ainda mais vitaminada. É importante que o local onde for plantada a semente deve estar fora da influência do sol, regando sempre para evitar que a terra fique seca.

Recomendações

Depois que fizer esse plantio, coloque sobre a terra semeada uma vedação de plástico, a fim de evitar que bichos e outros animaizinhos invadam o seu plantio e o destrua. Além disso, colocar o plástico sobre a terra ajuda a acelerar o crescimento da planta.

Quando atingirem uma altura de 15 a 20 centímetros, é hora de transferir as mudinhas para o seu local definitivo. As plantas permitem que sejam plantadas em vasos ou outros recipientes, além, também, de irem direto para o solo. No caso dos recipientes, deve-se atentar que tais recipientes devem ser fundos os suficiente para que suas raízes possam se desenvolver.

Cravo de Defunto Vermelho Amarelado

Cravo de Defunto Vermelho Amarelado

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Naturais

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *