Erva Baleeira – Informações Sobre o Poder Medicinal Dessa Erva Brasileira

Temos na natureza uma infinidade de ervas com as mais variadas finalidades. A maioria dessas plantas pode ser cultivada no jardim da nossa casa o que a torna muito mais especial, pois nos deixa mais próximo daquele remédio eficiente sempre que precisamos dele. Não existe limitação para cura feita através da medicina natural e há ainda, quem defenda a teoria que este tipo de remédio é muito mais eficiente do que os químicos que são feitos em laboratórios, já que o que vem da terra é muito completo em termos de nutrientes e vitaminas, além de ser infinitamente poderoso.

Erva-Baleeira

Erva-Baleeira

Aqui, vamos conhecer mais sobre a Erva Baleeira, uma planta muito utilizada em tratamentos fitoterápicos e com efeitos muito diretos e potentes. Vamos entender melhor sobre a estrutura da planta, saber como podemos cultivar essa planta em nosso jardim, assim como também, conhecer mais sobre a eficiência dela no tratamento de problemas de saúde.

Ficha Técnica

A erva-baleeira ou Cordia verbenacea como é tecnicamente chamanda, é uma planta da família das Borragináceas, que tem origem da região litorânea da América do Sul. É uma planta perene que pode chegar até 3 metros de altura, e aqui no Brasil ela está presente em todo o território, mesmo os que não estão localizados no litoral, mas a incidência maior está em Santa Catarina e em toda a região Amazônica. Além de Erva Baleeira, essa planta popularmente recebe outros nomes como Maria milagrosa, Maria preta, salicina, pimenteira e catinga de barão. Existem regiões onde a erva baleeira também é chamada de catinga de mulata, mesmo esse nome sendo já utilizado para outra planta também medicinal, a erva tanaceto.

Como Cultivar

O cultivo da erva baleeira pode ser feito por sementes que são plantadas diretamente ao solo já devidamente regado e adubado.  Por ser uma erva muito popular e bem utilizada para fins medicinais, comumente foram encontradas algumas sementes biologicamente alteradas, então é sempre bom saber a origem da sua semente para não correr o risco de cultivar a erva baleeira não totalmente autêntica. As sementes alteradas, também causarão alteração no principio ativo do medicamento e consequentemente, poderá não ter a mesma eficiência. Se o cultivo for feito através de mudas já germinadas, elas devem ser aplicadas à terra apenas após três anos de idade e devem ser implantadas através de mini estacas.

Tanto para mudas como para sementes, a composição ideal do substrato o qual será usado para a planta, deve ser composto de 2 partes de areia e 1 parte de terra vegetal para melhor reprodução e crescimento da erva baleeira. A planta exige rega mediana e de acordo com a sua exposição ao sol. Não é uma planta extremamente delicada, mas pode murchar muito facilmente se deixada em exposição direta ao sol e sem umidade. O mais indicado é uma meia sombra com regas regulares ou exposição direta com regas constantes.

Imagem de Amostra do You Tube

Uso Medicinal

Alguns documentos atestam que a origem e o descobrimento medicinal dessa planta vieram do México, porém nossos índios, mais diretamente os que habitavam a região da Amazônia, já faziam uso da erva baleeira há muito tempo e conheciam todas as suas propriedades medicinais, tanto que essa erva foi adotada biologicamente como uma erva medicinal do Amazonas.

Os primeiros tratamentos através da erva baleeira foram de origem anti-inflamatória e cicatrizante em ferimentos que eram causados aos índios pescadores por peixes ou manuseio da pesca. Essa tradição permanece até hoje, onde uma pomada ou extrato das folhas da erva baleeira são comumente encontradas em vilas de pescadores do nosso litoral.

Princípio Ativo

A principal composição dessa planta é de alfa humuleno, um anti-inflamatório que ao ser ingerido ou aplicado sobre um ferimento, entra em atividade bloqueando a ação de uma enzima chamada de Ciclo oxigenase 2, que é a responsável pela inflamação e todos os seus sintoma.

A ação dessa planta no nosso organismo, é a mesma ação causada pelos anti-inflamatórios e analgésicos quimicamente produzidos e comercializados por farmácias convencionais. A diferença dos dois medicamentos é que o remédio produzido pela erva baleeira, não possui contra indicação e até o momento não foi registrado nenhum efeito colateral  envolvendo o uso apenas dessa erva.

Imagem de Amostra do You Tube

Tratamento

Com a ação forte do seu princípio anti-inflamatório, a erva baleeira é muito utilizada no tratamento de vários problemas de saúde como:

Artrite, Contusões, Dor muscular, Dor na coluna, Hidropsia, Infecções gerais, Inflamações gerais, Reumatismo, Cortes, úlceras e/ou gastrites, nevralgias, antisséptica e cicatrizante.

Além dessas doenças, a erva baleeira é um excelente diurético e laxante natural, sendo utilizada como tais em forma de chá.

Como Tomar

As duas forma mais comuns de medicamento a base de erva baleeira é o chá e o óleo. No primeiro caso, você pode tomar o chá 2 ou 3 vezes por dia, em uma dosagem máxima de uma xícara de chá. A bebida pode ser preparada a partir das folhas e talos, ambos secos da erva baleeira que podem ser colhidas diretamente da planta ou compradas em potes de 60 gramas, custando pouco mais de 8 reais em farmácias ou lojas de produtos naturais.

Para preparar o chá de erva baleeira, você irá colocar 2 colheres de sopa da erva para cada litro de água. Coloque a água com as folhas em uma panela em fogo médio ou alto para ferver. Quando a água alcançar fervura, basta desligar e deixar tampada por aproximadamente 10 minutos. Após esse tempo basta coar o líquido para retirar todas as folhas e beber o chá conforme a indicação anterior.

Saiba Mais

Saiba Mais

Se o uso da erva baleeira for para  ferimentos ou contusões, você terá que preparar um cataplasma para aplicar na região dolorida ou cortada. A forma de preparo é a seguinte:

Você precisará moer todas as folhas que serão usadas no remédio. Depois de moídas, acrescente um pouco de água forma de forma que fiquem com a consistência de uma pasta.

Você pode aplicar o cataplasma diretamente na pele ou através de um pano ou guardanapo. No primeiro caso, após aplicar na região doente, é importante envolver toda a área com gases para que o medicamento possa penetrar perfeitamente. Deixe agir por no mínimo 1 hora e no máximo 24 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>