Peristeria Elata

As plantas, quando empregadas na decoração de interiores ou exteriores, com certeza, deixam a vista mais bonita para quem as vê. Muitas são as pessoas que possuem em suas casas exemplares de flores, folhagens, pequenas árvores ou arbustos que tem por função quebrar a monotonia deixada pelo concreto que cerca as casas em todos os cantos.

Uma das flores mais requisitadas pelos decoradores e, também, pelos proprietários de residências são as orquídeas, por conta de seu formato e, também, por conta das flores que nascem da planta, que são consideradas muito bonitas e delicadas.

O assunto do nosso artigo de hoje irá falar especialmente sobre uma espécie de orquídea que é bastante conhecida pelos decoradores e pelos amantes de plantas: a Peristeria Elata. Aqui, você vai conhecer um pouco mais sobre esse tipo de orquídea, bem como algumas informações interessantes a seu respeito. Vamos lá?

As Orquídeas

As orquídeas são todas aquelas plantas que fazem parte da família Orchidaceae, essa que é uma das maiores famílias de plantas existentes no mundo.  Apresentam-se na natureza numa variação gigantesca: diferentes formas, cores, tamanhos, entre muitas outras características.  Uma das vantagens da orquídea é que a planta está presente em quase todos os continentes, menos na Antártica, vide suas condições extremas de sobrevivência.

Na natureza, encontramos as orquídeas geralmente no alto de árvores, como um enxerto. Tal relação é conhecida, segundo a biologia, como uma relação do tipo inquilismo, onde a orquídea adota a árvore como seu substrato, sem causar nenhum problema à árvore que a hospeda.

Apesar de estar presente em praticamente todos os continentes, sua presença é mais sentida em países que contenham o clima subtropical como o Brasil, e em países do continente Africano. Reproduzem-se de variadas formas, desde por meio de sementes a até mesmo por meio de merisemagem.

As orquídeas, diferente de outras plantas, não possuem outras formas de uso, a não ser a ornamental. Poucas espécies são utilizadas para outros fins, como o de alimentação, já que algumas flores da espécie Vanilla são utilizadas para a extração da baunilha. No entanto, essa prática está sendo abandonada aos poucos por conta de um composto químico que reproduz o sabor da baunilha a um custo infinitamente menor do que o da extração natural.

Apesar de ser utilizada para decoração, muitas das orquídeas ainda não são utilizadas para esse fim, por conta de muitos desses exemplares apresentarem folhas falhadas ou flores que não sejam muito do agrado do olhar humano.

Como já é de conhecimento, as folhas e flores das orquídeas são muito pequenas e irregulares, mas mesmo assim são alvos de intenso estudo e admiração por parte de pesquisadores e colecionadores, que geralmente fazem parte de sociedades ou associações especializadas em estudar as orquídeas, bem como promover palestras sobre o tema e também expor vários exemplares de várias partes do planeta.

Como já dito, as orquídeas podem ser encontradas, praticamente, em qualquer lugar do planeta, mas sua incidência é comum em países localizados no clima tropical. Nesses países, a ocorrência de espécies está concentrada em locais montanhosos e de difícil acesso. Justamente por essa dificuldade em chegar a esses locais, as espécies de orquídeas podem se desenvolver e se espalhar pela floresta.

Para se ter uma ideia de como o clima influencia na presença de gêneros de orquídeas, na América do Norte, local de climas mais frios por conta da proximidade com o polo norte, a presença da orquídea se  divide em cerca de 30 a 60 gêneros. Já na América do Sul, esse número salta para mais de 300, podendo chegar a até 400. Tudo isso devido à localização privilegiada do continente, entre a linha do Equador e o trópico de Capricórnio.

Se você deseja cultivar orquídeas em sua casa, é necessário que se atente aos requisitos da planta, que não são muitos, mas são cruciais para que a planta possa sobreviver e ter saúde para aguentar vários anos.

Ao regar suas orquídeas, você deve se atentar ao fato de que não há necessidade de regar a planta diariamente, haja vista que ela realiza o processo de absorção de água por meio de suas folhas diretamente do ar. Por isso, é recomendado que você regasse a orquídea apenas uma vez por semana, podendo ser duas se o clima estiver muito seco. Para averiguar se a orquídea está necessitando ser regada, coloque a mão em seu substrato. Se estiver seco, significa que é hora do regador fazer uma pequena visita à sua planta.

O uso de adubos e fertilizantes é recomendado, mas em nível aceitável, já que, o uso constante de tais químicos pode danificar e até mesmo matar suas plantas. Os melhores adubos para as orquídeas são, justamente, os orgânicos, feito em casa ou comprado em locais especializados. Com esses cuidados, sua orquídea será sempre saudável.

A Peristeria Elata

A Peristeria Elatra é uma das espécies conhecidas de orquídea. Sua existência foi proposta por um conhecido pesquisador: Hooker, em uma aclamada publicação botânica do ano de 1831. O nome peristeria deriva do grego “peristerion” que significa “pequeno pombo” Tal assimilação é feita por causa das pequenas flores existentes nessa espécie de orquídea, que se assemelham e muito a esse tipo de ave.

Estão localizadas em grande parte na América Central e do Sul, inclusive no Brasil, onde é encontrada na Floresta Amazônica e em outros estados do norte brasileiro. No entanto, é vista em outros lugares como Venezuela, as Guianas, Colômbia, Peru, entre outros.

As flores da Elata apresentam tanto sépalas quanto pétalas iguais, carnosas, arredondadas e côncavas.  Por conta de semelhanças, a Elata é comparada com outros gêneros de orquídea, mas consegue se diferir das outras por conta de algumas características bastante específicas.

Muitos colecionadores acabam exportando a Elata de outros lugares da América do Sul, como a Colômbia e a Costa Rica, por acharem que a planta advinda do país é uma das mais raras que existem. A longevidade da orquídea é uma das características que fazem com que os colecionadores sejam aficionados por esse tipo de planta.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Naturais

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *