Como Fazer Enxerto de Rosas

Quem gosta de cuidar de plantas sabe que elas necessitam de cuidados especiais, que devem ser observados desde momento em que elas são cultivadas. E o mesmo serve para as rosas, independente da tipologia, da cor, do perfume, quem pretende plantá-las deve preocupar-se com o enxerto.

Você sabia que existem vários tipos de enxertos de rosas? Porém, o mais utilizado e mais aconselhado é o chamado de enxerto de borbulha. Ele recebe esse nome porque é feita da seguinte forma: é retirada a gema ou também chamada de borbulha a qual você gostaria de multiplicar; em seguida, ela deverá ser enxertada em um cavalo, isto é, em uma outra roseira, porque ela é quem fará de porta-enxerto. Veja a seguir o passo a passo de como fazer o enxerto de borbulha!

  • É muito importante que o porta-enxerto esteja na fase em que surgem as cascas. O que significa que a casca não pode ser muito lenhosa. Neste caso, não será possível trabalhar o enxerto das rosas. Nessa fase ela estará muito fina e em consequência muito grudada. Para ter certeza de que a casca está pronta para receber o enxerto verifique se ela está soltando com facilidade.
  • Se a casca estiver pronta para receber o enxerto de rosa com a ajuda de uma faca bem afiada ou até mesmo um canivete, faça um risco em forma “T”. Ele deverá ser feito o mais perto do solo possível e exatamente na haste onde você pretende fazer o enxerto.
  • Depois é só escolher um galho que possua um botão da roseira, que poderá ser usado para fazer a reprodução. Em seguida, escolha a borbulha ou gema que esteja com as características para o enxerto. Lembre-se: as melhores são aquelas que têm a camada da parte externa bem fechada.
  • Você já fez o “T”, então deverá usar o canivete ou a faca para retirar esse pedaço da casca que foi feita a letra, próximo a folha que se encontra a gema, perto da axila da planta.
  • Antes de prosseguir com o processo verifique atrás da casca que você acabou de retirar se a parte de lenha foi totalmente retira e tenha cuidado para fazer essa retirada sem estragar a gema.
  • Em seguida, pegue a gema para encaixá-la no corte feito anteriormente. É importante que seja coloca bem e fique localizada embaixo da casca.
  • Em alguns casos para que a gema fique colocada da maneira certa será necessário retirar o excesso de casca da borbulha.
  • Para terminar será necessário usar um fio de náilon ou qualquer outro tipo de fita para enrolar o enxerto. Não aperte muito, a ponta deve ficar livre e você observará que dela sairão os galhos.

Seguindo todas as etapas dadas anteriormente, deixe passar de duas a três semanas e observe se o enxerto de rosas funcionou. A característica que deve ser observada é que quando funcionou está bem verdinho. Neste caso, a fita usada poderá ser retirada, porém, caso você encontre um enxerto seco ou escuro, não funcionou, é um sinal de que a borbulha não vingou. E se quiser fazer um novo enxerto poderá usar o mesmo galho, mesmo que aquela primeira não tenha vingado.

Observe que é importante que o galho que receberá o enxerto esteja pronto e isso significa também, retirar os galhos que não será usados, deixe apenas o que será porta-enxerto.

Espere atingir 10 centímetros de comprimento e pode o galho em que foi feito o enxerto, isso faz com que outros galhos cresçam. Em seguida, faça o corte da haste sobre o enxerto, mais ou menos 4 centímetros, e pronto, uma nova roseira. Essa segunda será exatamente igual aquela de onde foi retirada a gema.

Veja Mais Dicas de Como Fazer Enxerto de Rosa!

Antes de continuarmos, vamos explicar qual a definição de enxertia de rosas. Se trata da união de diferentes genótipos, dois, que formarão uma terceira planta e única. Para que isso seja feito é necessário ter boas raízes, que sejam vigorosas e de preferência aquelas que tenham um ótima floração, o segredo do enxerto.

Dicas:

  • Os porta-enxertos que dão os melhores resultados são aqueles que são usadas estacas de rosas silvestres.
  • Normalmente, o tempo para que o enxerto possa ser feito,isto é, colocado no porta-enxertos é de 60 a 90 dias depois da preparação.
  • É muito importante usar uma faca ou estilete de ponta bem afiada para retirada do pedaço da casca para que seja um corte perfeito, isso fará a diferença na propagação da roseira. E não esquecer nunca de retirar parte lenhosa que pode acontecer de vir junto com a casca removida.
  • Não esquecer que é importante que o corte em forma de “T” seja feito próximo ao solo, use como referência a medida de 8 centímetros.
  • É muito importante que na hora da colocação da gema da roseira, isto é, do enxerto, dentro do corte, esse processo seja feita com atenção.
  • A fita que será usada para prender o enxerto deverá ser colocada em toda a extensão do “preparo”. Essa proteção é muito importante para proteger o enxerto da água de chuva e da água utilizada durante as regas. Dessa forma a cicatrização das duas partes e a junção segue sendo feita sem problemas e você terá sucesso no enxerto das rosas.
  • É muito comum que o local que foi feito o enxerto apresente uma ligeira saliência quando se passam dois meses. Isso é um sinal de que o processo está seguindo um bom desenvolvimento e que ele deu certo. Neste ponto, a planta está “procurando” uma forma de abrir na área externa. Você poderá então, retirar o plástico que foi colocado para a proteção, deixando que a nova roseira se desenvolva livremente. Nesta fase, a água não conseguirá causar danos ao enxerto já em crescimento bem sucedido.
  • Não esqueça que depois de retirar o plástico ainda é necessário fazer um outro corte, sobre o local, de cerca de 2 centímetros acima, para ajudar que a planta coloque a força no broto do enxerto.
  • As flores só irão aparecer cerca de 3 meses depois de todo esse processo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Naturais

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *