Como Plantar e Cuidar de Um Jardim de Ervas Aromáticas

Quem não quer ter em casa uma horta com ervas aromáticas frescas para usar a qualquer hora?Manjericão, folhas de alecrim, cebolinha ou salsinha e muito mais, podem ser cultivadas no quintal ou até mesmo em vasos e colocados na varanda do apartamento.

Não precisa muito, basta um cantinho na lateral do seu jardim ou mesmo um canto da varanda e pronto. O cultivo das ervas aromáticas é simples e além de tudo o sabor de tudo bem fresquinho em casa valoriza ainda mais os seus pratos.

O cultivo das ervas aromáticas não é cheio de segredos, pelo contrário, é simples, porém, algumas dicas, um detalhe aqui e outro ali, pode resultar em um sabor melhor e mais perfume na sua horta.

Além disso, apesar da simplicidade, alguns erros podem acabar sendo cometidos, o que pode comprometer o sabor das ervas.

Para garantir ervas aromáticas de ótima qualidade, siga alguns conselhos de profissionais que sabem como aproveitar ao máximo o cultivo.

Dicas de Cultivo e Cuidados Com Jardim de Ervas Aromáticas

1- Antes de começar o cultivo, para garantir boas ervas aromáticas, dedique-se a encontrar qual o melhor lugar para plantá-las. A localização de onde será o seu jardim ou horta vertical fará toda a diferença no desenvolvimento das plantas.

Observe os espaços que você tem disponível e considere o melhor lugar aquele que receber pelo menos 5 horas de sol diárias. A verdade é que os raios solares são fundamentais para que as ervas aromáticas cresçam saudáveis e que você tenha uma excelente colheita.

Então, regra número, escolha o lugar mais ensolarado do jardim ou dá varanda. Quando não for possível fazer o cultivo neste local, prefira plantar as ervas aromáticas em vasos que possam ser deslocados para tomar sol em outro ponto.

2- Vamos falar do plantio das ervas aromáticas no seu jardim ou horta vertical! Para começar fique atento em relação ao solo. A preferência das ervas é por aquele poroso e solto. É nesta terra que elas consegue se desenvolver dando o seu melhor.

Porém, atenção, quando for fazer o seu cultivo em canteiros, prepare a terra bem fofinha e para colocar as sementes prepare covas de 20 centímetros de profundidade. A “conta” ideal é a mistura de 5 quilos de composto orgânico com 5 quilos de areia em cada metro quadrado. Porém, os cuidados são diferentes para quem fará o cultivo usando vasos.

Para começar os vasos devem ter furos no fundo para garantir o bom escoamento da água. Coloque uma primeira camada de argila fina ou ainda cacos de telha ou brita. Essa camada é fundamental para evitar que a terra fique encharcada depois da rega das plantas.

Depois da primeira camada é só colocar a manta de drenagem e para completar uma terceira camada de areia grossa. E pronto, agora é só colocar a terra e fazer o cultivo das ervas aromáticas.

3- Para cuidar de um jardim com ervas aromáticas você deve começar a pensar antes mesmo do cultivo. Não só com a areia e a camada que garante o escoamento da água, mas também com as jardineiras ou vasos.

Você não deve comprar primeiro os vasos e depois pensar nas ervas. O processo deve ser o contrário. É necessário saber qual o tamanho cada um dos temperos irá atingir, isso é parte fundamental para um bom crescimento.

A medida de vaso que atende bem a grande parte das ervas aromáticas é a de 15 centímetros de altura. Porém, para não ter problemas, caso você não tenha certeza do espaço necessário para cada uma delas, prefira comprar vasos com 20 centímetros de altura. Dessa forma o bom desenvolvimento das raízes está garantido.

4- Conhecer bem as ervas aromáticas que você está plantando é essencial para se ter um bom resultado. É o primeiro passo para compor o jardim da melhor forma. Por exemplo, a hortelã “prefere” ficar sozinha em um outro vaso sem a companhia de outras ervas. As suas raízes crescem e se espalham muito rápido, por isso, a “necessidade” de ficar sonha. E ainda pensando nesse detalhe, a distância entre cada uma é fundamental, o ideal é que seja de 20 centímetros. Caso você escolha um pequeno vaso, é aconselhável não colocar mais de uma muda.

5- Passada a fase do plantio, a verificação dos vasos, o espaço ideal e os outros cuidados que citamos anteriormente, chega a hora de preocupar-se com as regas. A água é fundamental para que as plantas cresçam sadias, porém, as ervas aromáticas também não suportam o excesso.

Para não errar é melhor confiar mesmo no “dedo”, isto é, fazer o teste colocando na terra e caso sinta que ela está úmida, não molhe, se estiver seca, a erva deve receber água. Porém, não basta colocar o dedo superficialmente, “mergulhe-o” um pouco na terra.

As regas também devem ser diferenciadas dependendo da estação do ano. No verão, podem acabar sendo necessárias duas vezes por dia, bem cedo e no fim de tarde. Enquanto no inverno, uma única vez na parte da manhã é o mais indicado.

6- Outro ponto que não podemos esquecer é a poda. É graças a ela que se livra as ervas aromáticas de doenças e pragas. E nem pense em sair arrancando com as mãos as ervas mortas ou partes ruins, isso deve ser feito com a tesoura adequada para tal.

7- O combate as pragas e as doenças deve ser levado a sério. Caso, apesar de todas as suas tentativas elas ataquem as suas ervas aromáticas, isso comprometerá o bom crescimento. Neste caso, uma das maneiras para combater o problema é a cada 15 dias afofar a terra. É um modo de dar mais espaço para as raízes crescerem e terem mais força para “lutar” contra as doenças e pragas.

Também será necessário usar inseticidas e herbicidas, mas atenção ao usá-los. O ideal é aplicá-los diretamente nas folhas que estão doente. O horário correto de fazer isso é no final de tarde ou melhor ainda, durante à noite. Jamais enquanto bate sol nas folhas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Jardim

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *